31 de março de 2013

Houve um tempo...

Em que tudo que me dizias me emocionava.
Em que toda ligação era uma euforia. 
Em que, a cada encontro, o tempo não passava. 
E no vazio não havia agonia.

Toda a alegria, que era desmesurada, 
Toda a vontade de lhe ver, 
Se transformou em nada: 
Apenas vontade de esquecer.

Foi como um sonho perfeito, 
Que não se imaginava acordar. 
Tudo mágico e satisfeito. 
Difícil não se encantar.

Como uma profunda desilusão, 
O amor foi acabando; 
A dor mais triste do mundo, 
Ver nosso amor desmoronando.

(WAECHTER, Karen)

28 de março de 2013

Para uma mulher linda


Você é linda 
Lindamente linda 
Lindamente mente 
Minha mente mente 
Da ilusão que és.

Você é linda 
E mais linda 
Não pode ser 
Não posso querer 
Nem posso viver.

Você é linda 
No brilho do mar 
No sensual olhar 
No resto de encanto 
Que deixas no ar.

Você é linda 
E mais linda 
Não pode ser 
Só posso querer 
Teu querer meu querer 
E morrer.

(RODRIGUES, Victor Hugo Guimarães)

25 de março de 2013

Mulher – musa inspiradora


Mulher: Musa dos meus sonhos e olhares
                      pensamentos;
                      caminhos;
                      passos. 
É sempre linda demais 
Que me faz delirar. 
Ao meu ser me traz paz, 
Amor pra te amar.

Seja como for 
Sempre te venero 
Desejo o teu amor, 
Mesmo longe eu te espero.

Te vejo muito meiga e carinhosa 
Em tudo o que faz 
Te sinto bela e formosa 
Como cantam os sabiás.

Mulher simples e sensual 
Com andar de sedutora 
Tens um belo visual, 
Mais parece uma doutora.

Para mim és musa ideal 
Que todos querem ternamente 
És muito jovial 
Não me basta querer.

Quando quer 
Sabe ser charmosa e versátil. 
Não perde nem sequer 
Seu ar gentil e ágil.

Digam o que disser 
Para ti só digo sim. 
Minha musa, minha mulher, 
Eu te quero dentro de mim.

Quando deito penso em ti 
E caio em profundos sonos. 
Imagino-te em mim, 
Dentro dos meus sonhos.

Cada vez que observo 
A mata, o mar imenso. 
Pra ti eu me preservo 
O tempo todo e em pensamento. 
Cada rumo que percorro 
Tu és o meu caminho 
E quando preciso de socorro 
Retira meu espinho.

Em todo canto 
Em cada espaço. 
Sinto o teu manto, 
Protegendo os meus passos.

M ulher 
I mpecável 
N eutraliza 
H omens 
A paixonados

M ulher! 
Ú nica! 
S ubmissa 
A mor.

I nsolúvel! 
N unca 
S erá 
P erdido 
I magens 
R aras e 
A nimadas, 
D ando 
O lhares 
R adiais de 
A mor sedutor.

(POZZEBON, Venceslau)

22 de março de 2013

Jovem


Impaciente, 
Sonhador, 
a procura... 
de um verdadeiro amor.

Aventuras quer viver 
mistérios desvendar, 
sabendo que ao longo do caminho 
dificuldades poderá encontrar.

Gosto de cantar, 
dançar, 
romper o silêncio, 
com até mesmo um simples olhar.

(ZAMBELLI, Tatiane Cristina)

19 de março de 2013

Estrangeira


Algum lugar me espera...
                     Na viagem das horas
                     um mundo de (des)caminhos. 
Vou
                     me expor
                     às janelas
                                sem fronteiras,
                     à descoberta, 
e me deixar ficar 
no espaço e tempo dos possíveis.

Os apertos de mãos fugazes 
procuram o que me faz sentir
                     estranha aos meus amigos,
                     estrangeira 
onde sempre morei. Sempre?...
                     Entre encontros e desencontros, 
queria me achar 
num país mais social,
                     menos indignado, 
povoado por vidas mais vividas.

Folheando manhãs,
                     acenarei saudades 
e cartões postais, notícias ou raízes?
                     Talvez me veja em olhos familiares
                     de rostos desconhecidos 
que conjugam silenciosos
                     e nunca voltar 
a partir
                     sem nada 
a dizer.

(SCURO, Tânia Maria)

16 de março de 2013

Amar, é


Ver uma flor desabrochar 
é ver um campo florido 
se abraçar. 
Amar, é ver a cachoeira 
transbordar 
e o rio inteiro cantar. 
É ver a montanha deslizar 
para se aconchegar 
nas ondas azuis 
do mar. 
Amar, é deitar 
na branca espuma do mar 
e na areia rolar... rolar... 
até o sol brilhar.

(SOARES, Remy de Araújo)

13 de março de 2013

O poeta e o palhaço


É o sonho e a fantasia se mesclando 
O palhaço é o poeta gargalhando 
É o sonhador fugindo a realidade 
Pode ter o coração em pedaços 
Mas leva a todos com desembaraço 
Um mundo de hilaridade 
Como é gostoso ser criança 
Se ver num mundo cheio de esperança 
E ver num sorriso o sentido da vida 
Desejamos que o palhaço sorridente 
Seja sempre um poeta muito ardente 
E que a alegria não precise ser fingida

Que encontre pela vida compreensão 
Que o seu angelical coração 
Esteja cheio de amor pra dividir 
Que a dor não cruze o seu caminho 
Que encontre todo o carinho 
Para fazer o nosso povo sorrir.

Entre o poeta e o palhaço eu me sinto 
E entre os dois eu me incluo 
Pois sou mescla de risos e poesias 
Às vezes com o coração em pedaços 
Eu sou muito mais o palhaço 
Que mesmo assim transmite alegria.

(MENDES, Moacir João Alves)

10 de março de 2013

Esplendor


Antes que se fechem as cortinas do horizonte, 
O dia prepara a sua despedida. 
É a grande apoteose dos momentos solenes. 
A natureza, como um brinde ao Criador, 
Desfila todo o seu esplendor e magia: 
As cores do céu se harmonizam 
Numa fantástica combinação de tons. 
Nas flores, um perfume aconchegante 
Como beijo de quem celebra o amor. 
As aves orquestram seu contentamento 
Pelo prazer do encontro 
Ou pleo encontro do alimento. 
A poesia aflora dos lábios do poeta 
Confundindo a realidade com o sonho. 
Sempre atento com sua objetiva. 
O turista tenta flagrar estes instantes fugazes 
Na tentativa de quem quer perpetuá-los. 
Quantas telas,... partituras,... esculturas,... 
Vão emanando deste cenário encantador 
Marcado pela transitoriedade!... 
Pouco a pouco, o sol esquece o seu brilho 
E ternamente adormece, 
Em lugar do fulgor, as trevas da noite. 
Uma mescla de tristeza e saudade 
Toma conta do espectador. 
Porém, na alma daquele que tem Fé, 
Nunca anoitece.

(MICHELON, Mario)

7 de março de 2013

Bicho carpinteiro


A rua 
Os pinheiros 
O passarinho, o sapateiro 
passo por lá todo dia, 
Mas não percebia a poesia.

Deve haver alguém 
Em algum lugar... 
Um Papai Noel de sombrinha aberta
                             ou um bicho cabeludo careca 
Talvez...
                             um moleque sapeca 
Alguém com essência de uma pedra ereta 
Sei... 
Um bebê preguiçoso de asas abertas.

(COSTAMILAN, Maria Paula de L.)

4 de março de 2013

Miséria

     Pés calejados
Um rosto sofrido 
Chão sem teto 
Barriga vazia
     Coração sozinho 
As viciado
     Corpo cansado 
Liberdade vigiada 
É assim que sinto 
a mãe que sob o olhar 
apavorado do filho 
tenta protegê-lo da fome 
do frio, da ignorância 
e da violência que ameaça 
a sua existência.

(GALVANI, Mara Aparecida Magero)

1 de março de 2013

Quatro paredes


O mundo é quatro paredes. 
Não se pode sair dele, 
a não ser pela imaginação flutuante, 
pela abstração, 
pelos volteios do pensamento, 
pela elaboração de novos signos, 
novas imagens, 
ícones renovadas...

A palavra é um destes elementos remissivos, 
procriativos, 
elucidativos...

A razão – deixar de lado?

Usar o belo, 
a sensação, 
a perspicácia, 
o sentimento.

As quatro paredes, 
quaisquer que sejam, 
massacram as pessoas.

(CORTE, Loreni da Fontana Dalla)
 

Furtando Textos ₢ 2012-2013 Template por Template Para Blogspot customizado por Gui Spigolan