5 de outubro de 2012

Falas furtadas de "Hamlet", de William Shakespeare

A infâmia sempre reaparece ao olhar humano, 
Mesmo que a afoguem no fundo do oceano.

(Fala de Hamlet no fim da Cena II do Ato I)



(...) Pois a natureza não nos faz crescer 
Laurence Olivier interpretando Hamlet
em famosa adaptação da peça
para o cinema, em 1948
Apenas em forças e tamanho, 
À medida que este templo se amplia, 
Se amplia dentro dele o espaço reservado 
Pra alma e pra inteligência. (...)

(Fala de Laertes à Ofélia na Cena III do Ato I)



(...) E coloca tua afeição 
Fora do alcance e do perigo do desejo. 
A donzela mais casta não é bastante casta 
Se desnuda sua beleza à luz da lua. 
A mais pura virtude não escapa ao cerco da calúnia. 
A praga ataca os brotos da primavera 
Antes mesmo que os botões floresçam; 
E na manhã orvalhada da existência 
Os contágios fatais são mais constantes. 
Tem cuidado, então; o medo é a melhor defesa. 
Uma jovem se seduz com sua própria beleza.

(Fala de Laertes à Ofélia na Cena III do Ato I)



(...) Ele, repudiado - vou encurtar a história - 
Caiu em melancolia, depois em inapetência; 
Logo na insônia; daí em fraqueza; afinal, em delírio. 
E, por esse plano inclinado, na loucura em que se agita agora; 
E que todos deploramos.

(Polônio sobre Hamlet na Cena II do Ato II)



Ser ou não ser - eis a questão. 
Será mais nobre sofrer na alma 
Pedradas e flechadas do destino fero 
Ou pegar em armas contra o mar de angústias - 
E, combatendo-o, dar-lhe fim? (...)

(Fala de Hamlet na Cena I do Ato III)



O poder da beleza transforma a honestidade em meretriz mais depressa do que a força da honestidade faz a beleza se assemelhar a ela. Antigamente isso era um paradoxo, mas no tempo atual se faz verdade. (...)

(Fala de Hamlet à Ofélia na Cena I do Ato III)



Já o sol trinta voltas perfeitas tinha dado 
Sobre o verde da terra e o mar salgado 
Trinta dúzias de luas usando luz alheia 
Tinham doze vezes trinta sido lua cheia 
Desde que o amor uniu você e eu 
Pelos laços sagrados do Himeneu.

(Fala de um ator interpretando um Rei na Cena II do Ato III)

________________________________________________________________________________
"Hamlet" é uma tragédia de William Shakespeare, escrita entre 1599 e 1601.
A peça, situada na Dinamarca, reconta a história de como o Príncipe Hamlet tenta vingar a morte de seu pai Hamlet, o rei, executando seu tio Cláudio, que o envenenou e em seguida tomou o trono casando-se com a mãe de Hamlet.
Fonte: Wikipédia
Compartilhe:
 

Furtando Textos ₢ 2012-2013 Template por Template Para Blogspot customizado por Gui Spigolan